Porque não apago fotografias

Quando, há seis meses, iniciei uma série de retratos a que chamei Caras da Minha Terra, estava longe de imaginar a reacção que iria ter. Tive oportunidade de fotografar tanto pessoas que me são próximas como pessoas que me eram desconhecidas. 

Com este post quero apenas ilustrar a importância de guardar a matéria que vamos criando ao longo do tempo. Ao começar este projecto decidi dedicar uma fotografia a cada pessoa (ou mais uma, no caso de essas pessoas estarem juntas) e não mais que isso. Contudo, criei sempre mais do que uma imagem para cada pessoa que fotografei, enviando-as aos fotografados e guardando-as para mim. Tivera eu apagado aquelas de que não "precisava", e teria ficado sem muitas fotografias que considero boas e bem ilustrativas das pessoas nelas retratadas.

Com o preço das várias formas de armazenamento a descer continuamente, torna-se quase indesculpável apagar material que pode ser perfeitamente utilizável ou que poderemos interpretar e modificar de maneira diferente daquela que usámos quando o captámos.

Quero deixar aqui também o meu agradecimento a todos os que me ajudaram com este projecto, tanto com o vosso tempo como com a vossa ajuda em encontrar mais pessoas para fotografar. A vossa generosidade foi, é e continuará a ser indispensável para a continuação deste projecto a longo prazo.

Obrigado!